Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Comissão do Senado retoma voto presencial e aprova 32 indicados para representações no exterior

Escolhidos pelo governo Bolsonaro ainda terão de ser analisados pelo plenário do Senado. Como votação é secreta, parlamentares votaram em totens e máquinas 'drive-thru'. Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) vota em sistema 'drive-thru' no Senado Leopoldo Silva/Agência Senado A Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado aprovou nesta segunda-feira (21) os nomes de 32 indicados pelo governo para representações do Brasil no exterior. Foram as primeiras votações presenciais do colegiado desde março, quando as reuniões foram suspensas por causa da pandemia da Covid-19. As 32 indicações aprovadas pela comissão seguem, agora, para análise no plenário do Senado. Não há data para que elas sejam votadas. O retorno temporário das atividades presenciais é necessário para a análise de indicados para embaixadas e agências internacionais, para o Superior Tribunal Militar (STM) e para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). De acordo com o regimento do Senado, essas votações precisam ser secretas – o que, por motivos de segurança, não é possível no sistema de deliberação remota, que tem sido utilizado desde 20 de março. A análise dos indicados nesta segunda-feira foi dividida em três reuniões da CRE. Na primeira, foram aprovados 11; na segunda, outros 11; e, na terceira, os 10 restantes (veja a lista completa ao final desta reportagem). Votação presencial Senadora Simone Tebet (MDB-MS) higieniza mãos antes de utilizar urna eletrônica durante sistema 'drive-thru' de votação Leopoldo Silva/Agência Senado A maioria das sabatinas dos candidatos foi realizada por videoconferência. Os integrantes da comissão puderam acompanhar os trabalhos presencialmente, das próprias casas ou dos gabinetes. Entretanto, para participar das votações, os parlamentares precisaram se deslocar até o Congresso. Totens de votação foram espalhados pelo prédio. Alguns senadores votaram pelo sistema “drive-thru”, instalado na garagem do edifício. Para diminuir as chances de disseminação do coronavírus no Senado, outras medidas foram adotadas, como restrição do acesso à sala da CRE, distanciamento físico e higienização de objetos. Diplomatas aprovados Entre os indicados aprovados, estão diplomatas que ocuparão postos importantes para os negócios do Brasil no exterior. É o caso de Marcel Biato que será o representante brasileiro na Irlanda; de Rafael Vidal (Angola); de Sérgio Danese (África do Sul); de Reinaldo Salgado (Argentina); e de Paulo Soares Pacheco (Chile). Também foi aprovado o nome do general do Exército Gerson Menandro Garcia de Freitas para ser o embaixador brasileiro em Israel, o único analisado que não é diplomata de carreira. Foi aprovada ainda a indicação do diplomata Carlos Sobral Duarte que será o representante permanente do Brasil junto à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), com sede em Viena, na Áustria. Para a Organização de Aviação Civil Internacional, que tem sede no Canadá, foi aprovado o nome de Norberto Moretti. Secretário de Trump Também nesta segunda-feira, a CRE aprovou um convite ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para que o chanceler explique a visita a Roraima do secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo. O presidente da CRE, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), afirmou que Araújo aceitou o convite e que comparecerá ao Senado na próxima quinta-feira (24), às 10h. A visita de Pompeo foi objeto de críticas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de parlamentares e de ex-ministros de Relações Exteriores do Brasil. Ernesto Araújo afirma que as críticas são "infundadas". Lista dos indicados aprovados Veja abaixo a lista dos indicados aprovados pela CRE nesta segunda. Os nomes ainda terão de ser analisados pelo plenário principal do Senado. Rodrigo do Amaral Souza (Trinidad e Tobago); Arthur Henrique Villanova Nogueira (Zâmbia); Antonio José Maria de Souza e Silva (Filipinas); Rodrigo de Azeredo Santos (Dinamarca); Paulo Roberto de Castilhos França (Países Baixos); Oswaldo Biato Júnior (Geórgia); Francisco Brasil de Holanda (Kuwait); Norton Mello Rapesta (Ucrânia); Colbert Pinto Junior (Cabo Verde); Marcel Fortuna Biato (Irlanda); Carlos da Rocha Paranhos (Myanmar); Luís Villafañe Santos (Iraque); Renato Menezes (Congo); Flávio Lima Rocha Júnior (Botsuana); Bruno Luiz dos Santos Cobuccio (Senegal); Rafael de Mello Vidal (Angola); Regina Célia de Oliveira Bittencourt (Benim); José Carlos Leitão (Costa do Marfim); Ellen Ferreira de Barros (Burkina Faso); Laudemar de Aguiar Neto (Irã); Sérgio Danese (África do Sul); Gerson Menandro Garcia de Freitas (Israel); Reinaldo de Almeida Salgado (Argentina); Paulo Roberto Soares Pacheco (Chile); Antônio Carlos de Salles Menezes (Guiné); Maurício Medeiros de Assis (Timor-Leste); José Antonio Gomes Piras (Estônia); Eduardo de Ribas Guedes (Mali); José Raphael Lopes de Azeredo (Suriname); Carlos Alberto Michaelsen den Hartog (Nepal); Norberto Moretti (Organização de Aviação Civil Internacional); Carlos Sobral Duarte (Agência Internacional de Energia Atômica).
Mon, 21 Sep 2020 23:49:59 -0000
Servidores estaduais do Paraná que estavam em home office por causa da pandemia poderão retomar atividades presenciais
Decreto estabelece que os órgãos e entidades devem seguir medidas de prevenção contra a Covid-19; home office poderá continuar para quem se enquadra em grupos de risco. Decreto libera que servidores estaduais retomem atividades presenciais Os servidores estaduais do Paraná foram autorizados, nesta segunda-feira (21), a retomar as atividades presenciais que desempenhavam antes da pandemia do novo coronavírus. O decreto estabelece que os órgãos e entidades deverão, obrigatoriamente, seguir todas as medidas de prevenção contra a Covid-19 previstas na legislação sanitária. Os titulares dos órgãos públicos serão responsáveis pela organização dos servidores, atendendo resolução da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que orienta sobre a forma de retorno ao trabalho. O home office poderá continuar para quem se enquadra em grupos de risco. Veja, mais abaixo, todas as mudanças. CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias PANDEMIA EM NÚMEROS: Confira o mapa com os dados por cidade Queda no número de infecções De acordo com o secretário da Saúde, Beto Preto, as medidas estão ancoradas no atual quadro epidemiológico da doença. Segundo ele, levando em consideração os registros das semanas epidemiológicas, houve queda pela segunda semana consecutiva no número de infecções e mortes. Nesta segunda-feira, o Paraná chegou a 4.103 mortes e 163.762 casos confirmados de Covid-19, segundo dados publicados pela Sesa. Retomada total ou parcial Desde março, quando foram publicadas as primeiras normativas para o enfrentamento da Covid-19, ficou determinado o regime de teletrabalho para grande parte do quadro, além de horário reduzido de expediente presencial. Entretanto, com a edição do texto, os titulares dos órgãos e entidades da administração pública direta, autárquica e fundacional poderão decidir pela retomada total ou parcial do expediente e do atendimento presencial ao público, de acordo com a necessidade administrativa de cada área. Sem imposição de home office Segundo o governo, os gestores podem instituir jornadas diferenciadas, respeitando a carga semanal de trabalho de cada servidor, com o registro habitual do ponto. A mudança, de acordo com o governo, também retira a imposição de home office, mas assegura que esse regime ainda pode ser concedido para as seguintes pessoas: Com idade igual ou superior a 60 anos; Gestantes; Lactantes com filhos de até seis meses; Servidores com condições clínicas específicas. Os servidores autorizados a realizar as atividades por home office deverão permanecer em isolamento social, sob pena de configuração de falta administrativa. De acordo com o texto, descumprimento das regras poderá motivar abertura de sindicância ou processo administrativo. Todos os residentes, técnicos e estagiários, de nível médio e superior e de pós-graduação, com idade igual ou superior a 18 anos, poderão retomar as atividades presenciais, de acordo com o governo. Outras regras Conforme o governo, os órgãos e entidades da administração direta, autárquica e fundacional que retomarem ou mantiverem o regime presencial de trabalho deverão obrigatoriamente seguir, para o expediente e atendimento presencial ao público, todas as medidas de prevenção. Cada pasta deverá estabelecer fluxo próprio para a gestão e processamento dos pedidos de home office. Para encaminhar o procedimento serão criados novos documentos: Formulário de autodeclaração; Formulário com as atividades do teletrabalho; Despacho de autorização do responsável pelo órgão. Os servidores que tiverem confirmada a infecção pelo novo coronavírus deverão preencher requerimento eletrônico para solicitação de licença médica, nos termos estabelecidos pela Secretaria de Administração e Previdência, segundo o governo. Initial plugin text Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Mon, 21 Sep 2020 23:48:21 -0000
Coronavírus em 21 de setembro: municípios do Leste e Nordeste de MG confirmam mortes e casos

Dados são contabilizados com base nos boletins divulgados pelos municípios. Confira as últimas notícias sobre o coronavírus na região Hellen Souza/ Arte-G1 A Veja os dados sobre o coronavírus nas principais municípios do Leste e Nordeste de Minas Gerais, na área de cobertura do G1 Vales de Minas Gerais, nesta segunda-feira (21). O levantamento é feito junto às secretarias municipais de Saúde. Os casos nos outros municípios da região continuam sendo atualizados diariamente a partir de informações da Secretaria Estadual de Saúde. Para consultar a situação em cada local, basta acessar o mapa do G1. A tabela abaixo traz os dados de casos suspeitos, confirmados, descartados e óbitos divulgados pelas prefeituras. Dados de coronavírus por prefeituras das principais cidades *Um paciente que morreu estava com Covid-19, porém a causa da morte foi por Acidente Vascular Cerebral (AVC). Casos O G1 acompanha, diariamente, o número de casos confirmados pelas prefeituras das principais cidades da região. Veja no gráfico abaixo a evolução dos números. Até esta segunda-feira, 26.428 casos foram confirmados, sendo 716 mortes. Veja mais notícias da região em G1 Vales de Minas Gerais.
Mon, 21 Sep 2020 23:44:17 -0000
Maracujá-alho apresenta resultados favoráveis ao tratamento do mal de Parkinson em pesquisa cearense

O projeto tem como base conhecimentos populares da região do Cerrado. Pesquisa usa maracujá-alho para ajudar no tratamento do mal de Parkinson Arquivo pessoal Pesquisadores da Embrapa, Universidade de Fortaleza (Unifor) e Universidade Federal do Ceará (UFC) atestaram que o maracujá-alho apresenta características que podem contribuir com o tratamento do mal de Parkinson e de outros distúrbios relacionados à coordenação motora. O estudo ainda está em fase inicial, mas já mostra que o vegetal ajuda na diminuição de tremores. O engenheiro de alimentos e pesquisador da Embrapa Agroindústria Tropical, Nedio Jair Wurlitzer, conta que a ideia de testar o maracujá-alho surgiu com base em conhecimentos populares da região do Cerrado. “Desse material, nós começamos a fazer experiências com base em chás e sopas. Algumas pessoas acabam relatando que é bom pra controlar tremores”, explica. A fase inicial da pesquisa foi testada apenas em laboratório. Conforme a Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciências Médicas da Universidade de Fortaleza, nessa etapa já foi possível observar as demais particularidades do maracujá-alho. "Os resultados obtidos nessa pesquisa agregam valor a essa espécie pouco conhecida de maracujá. Ressalta-se que além dos efeitos obtidos, como ansiolítico, sedativo, anticonvulsivante e neuroprotetor, também foi detectada ausência de toxicidade, tornando a espécie Passiflora tenuifila uma fonte promissora de compostos funcionais com efeitos no sistema nervoso central". Resultados iniciais Na avaliação do efeito antitremor em ratos, os testes comportamentais indicaram que o consumo de maracujá-alho causou uma melhoria e possível efeito de recuperação dos danos. A fruta provocou ainda um aumento no nível de dopamina no cérebro dos animais, similar ao apresentado pelos animais que receberam carbidopa/L-dopa, substância que normalmente é utilizada no tratamento da doença. “Como são experimentos inicias, a gente inicia com determinadas doses. Deram resultados promissores, os próximos passos seriam fazer testes para ampliar a funcionalidade, determinar as doses e testar em pessoas”, avalia Nedio. Ele acredita que a comprovação do estudo tem potencial para abrir novas possibilidades. “É um campo bastante aberto, como existe uma centena de maracujás, muitos deles já são utilizados como ansiolíticos. Ele permite abrir campos para diversas outras perspectivas”. Uma dessas perspectivas seria o investimento da plantação desse vegetal para o ramo da alimentação e da saúde. Como ainda não existe uma estrutura de plantio desenvolvida no Brasil, haveria necessidade de estudar todo o processo dos cuidados com o maracujá-alho e o interesse comercial.
Mon, 21 Sep 2020 23:43:00 -0000
VÍDEOS: JA 2ª Edição - TO de segunda-feira, 21 de setembro

Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da região. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da região.
Mon, 21 Sep 2020 23:40:48 -0000
Mais de 400 mil pessoas no Paraná tiveram contratos de trabalho suspensos durante a pandemia, diz levantamento

Desde abril, 946,7 mil paranaenses fizeram acordos, sendo que 521,4 mil profissionais tiveram redução de jornada e salário; suspensão dos contratos impactam no valor do 13º salário. Suspensão de contrato tem impacto no valor do 13º salário Mais de 400 mil pessoas tiveram os contratos de trabalho suspensos durante a pandemia no Paraná, de acordo com dados do Governo Federal, que autorizou acordos trabalhistas por meio de Medida Provisória (MP). Desde abril, foram 946.702 paranaenses que fizeram acordos. Segundo os dados do governo, a maioria, 521.451 profissionais, teve redução de jornada e salário, e outros 412 mil tiveram a suspensão. Quase 190 mil trabalhadores do Paraná aderiram à MP de redução de salários ou suspensão de contratos nas primeiras semanas A auxiliar administrativa, Pâmela teve o contrato de trabalho suspenso por três meses na loja de roupas masculinas em que é contratada. Ela comenta que o setor em que ela trabalha foi um dos mais atingidos no começo pandemia. "Eu acho que se as empresas tivessem que manter todos os salários, eles não conseguiriam manter de todo mundo, né", comentou a trabalhadora. Medida A medida do Governo Federal que permite a suspensão de contrato de trabalho e redução proporcional de carga horária e salário no começou a valer em abril. A lei permite que empresas suspendam, por até seis meses, os contratos de trabalho, ou reduzam carga horária e salários em até 70%. As empresas que aderirem, ficam impedidas de demitir sem justa causa durante a vigência e por um período igual, após o fim do acordo. O advogado trabalhista Fábio Peres afirma que os acordos foram importantes para evitar ainda mais demissões durante a crise da pandemia. "Com a suspensão ou com a redução de contrato de trabalho, esses empregos recebem uma garantia pelo período igual de redução ou de suspensão", disse. Mais de 400 mil pessoas no Paraná tiveram os contratos de trabalho suspensos durante a pandemia, diz governo Natalia Filippin/G1 As mudanças nos contratos de trabalho devem impactar diretamente a economia do estado no fim do ano. O décimo terceiro salário será menor para quem teve o contrato de trabalho suspenso. Os meses sem salário ficam de fora do cálculo. No exemplo de um trabalhador que ganha R$ 3 mil por mês e a empresa suspendeu o contrato por dois meses, primeiro, é preciso dividir o valor do salário por 12, que é o número total de meses no ano. O resultado da conta é multiplicado pela quantidade de meses trabalhados. Neste caso, foram dois meses de suspensão e 10 meses em que o funcionário trabalhou. Portanto, o trabalhador ganharia, R$ 2,5 mil de décimo terceiro. Em caso de horas-extras, comissões ou outros adicionais no salário, eles também entram no cálculo. Para os trabalhadores que tiveram redução de salário e jornada, pode haver impacto no valor do décimo terceiro em alguns casos bem específicos, como por exemplo, quem trabalhou até 14 dias em algum mês do ano. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Mon, 21 Sep 2020 23:40:07 -0000
Médicos peritos começam a refazer vistorias em agências do INSS no Paraná, ainda sem previsão de retorno

Sem acordo entre categoria e governo, segurados permanecem sem receber o atendimento nas unidades; associação dos peritos começou a vistoriar agências em Maringá, Londrina e Paranavaí. Médicos peritos começam a refazer as vistorias não há previsão para o retorno das perícias Médicos peritos começaram nesta segunda-feira (21) a refazer vistorias nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) do Paraná, diante do impasse envolvendo a retomada dos serviços presenciais. A Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP) publicou uma lista de agências que a categoria pretende vistoriar até quarta-feira (23), considerando que os peritos discordaram da vistoria realizada pelo INSS. No Paraná, três agências entraram na lista de novas vistorias. As unidades ficam nas cidades de Londrina e Maringá, no norte, e de Paranavaí, no noroeste. Sem uma definição, uma semana após o início da retomada dos atendimentos presenciais nas agências de todo o país, os segurados permanecem sem atendimento. Entenda a queda de braço entre o INSS e os médicos peritos Clique aqui para ver as agências aprovadas que devem ter retorno da perícia, segundo o INSS Atendimento presencial do INSS: entenda os serviços disponíveis, como ser atendido e documentos necessários A categoria alega que o INSS não seguiu critérios técnicos e que há falta de segurança. Os profissionais afirmam que o INSS não fez adaptações necessárias nas agências para receber os segurados, em ambientes que geram aglomeração e têm público em grande parte idoso. O órgão afirma que os peritos pedem melhorias que estariam além do escopo de prevenção do novo coronavírus. Médicos peritos começam a refazer vistorias em agências do INSS no Paraná ainda sem previsão de retorno Reprodução/RPC Nova vistoria Na análise, os peritos refazem vistoria nas agências e enviam relatório para Brasilia. O documento é analisado pela associação nacional da categoria e, se houver também a liberação por parte do INSS, o resultado será publicado no diário oficial. O INSS informou que considera as agências de Maringá, Paranavaí e Londrina como aptas para a realização das perícias, mas um dos peritos que participou da vistoria em Londrina, nesta segunda-feira, disse que na unidade havia falta de aventais impermeáveis. O perito explicou que, no relatório, os profissionais indicaram a possibilidade de voltar ao trabalho usando de três a quatro aventais permeáveis por dia até que o INSS adquira o modelo impermeável, considerado o mais adequado. "Estando a agência em condições de segurança para os profissionais que trabalham, não só os peritos, mas o funcionário da limpeza, o vigilante, o servidor administrativo, e para a população, principalmente, não tem problema nenhum. Os peritos estão aptos para voltar a trabalhar, mas com segurança", disse o perito. Até a publicação desta reportagem, a associação nacional dos peritos não informou o resultado das vistorias, e nem repassou informações sobre quando outras agencias serão vistoriadas no estado. Peritos realizaram nova vistoria em agência do INSS, em Maringá, nesta segunda-feira (21) Fernando Lopes/RPC Retorno das perícias e agendamentos Não há data definida para que os profissionais voltem a atender no estado. Segundo o INSS, enquanto o impasse não é resolvido, os segurados devem ligar para o telefone 135 para saber quais serviços estão disponíveis em cada agência. Ainda conforme o instituto, as pessoas que tinham agendamentos de perícia e não foram atendidas terão prioridade quando forem realizados novos agendamentos, o que, por enquanto, não tem data para retornar. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Mon, 21 Sep 2020 23:38:44 -0000
Museu da República no Rio recebe peças históricas de religiões afro-brasileiras apreendidas pela polícia há mais de 100 anos
As mais de 500 peças religiosas foram retiradas de terreiros de umbanda e candomblé entre 1889 e 1945 e estavam no antigo prédio do DOPS, hoje sede da Polícia Civil. Material será catalogado pelo museu com ajuda de lideranças religiosas. O Museu da República no Rio de Janeiro recebeu uma coleção histórica: 523 peças religiosas retiradas de terreiros de umbanda e candomblé entre 1889 e 1945. O material, que estava reunido em 77 caixas, ficou com a polícia por mais de 100 anos. Museu da República recebe peças históricas de religiões afro-brasileiras apreendidas As peças estavam em armários no prédio do antigo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), no Centro do Rio, onde hoje funciona a sede da Polícia Civil. São instrumentos musicais , bonecos e outros objetos sagrados que foram colocados em um caminhão e levados para o bairro do Catete, onde fica o museu nesta segunda-feira (21). No local, lideranças religiosas esperavam a chegada do caminhão com o material. A Constituição de 1891 definiu que o estado brasileiro é laico e existe a liberdade de religião, mas a repressão usava artigos do Código Penal para confiscar os objetos e prender os religiosos. "Todas as acusações eram justificadas nesses artigos, que falam de prática ilegal da medicina, espiritismo, magia, ou seja, a religiosidade afro brasileira, era associada a esses estereótipos. E assim criminalizada. As casas de culto e as mães e pais de santo foram tratados como crime", disse a historiadora Maria Helena Versiani. Acordo para devolução O Ministério Público Federal participou da negociação para a transferência da coleção. A equipe do Museu da República fará a gestão do acervo. As lideranças religiosas vão ajudar a descobrir a história de cada objeto, um levantamento que nunca foi feito. Depois disso, o objetivo é uma mostra para apresentar o que ficou tanto tempo escondido.
Mon, 21 Sep 2020 23:37:52 -0000
TV Gazeta não vai realizar entrevistas em estúdio com candidatos a prefeito de Maceió
Entrevistas foram canceladas por medidas de segurança sanitária, para evitar risco de contágio pelo novo coronavírus. Entrevistas com candidatos a prefeito no estúdio da TV Gazeta não serão realizadas A TV Gazeta de Alagoas informou nesta segunda-feira (21) que não vai realizar neste ano as tradicionais entrevistas feitas em estúdio com os candidatos a prefeito de Maceió. A medida segue protocolo de segurança para evitar risco de contágio pelo novo coronavírus. Leia a nota na íntegra abaixo: As tradicionais entrevistas feitas no estúdio com os candidatos a prefeito não serão realizadas pela TV Globo e suas afiliadas. Outra mudança será no debate, que só ocorrerá no primeiro turno onde houver acordo entre os partidos para que apenas os quatro mais bem colocados na última pesquisa eleitoral participem do encontro. As medidas foram tomadas diante da impossibilidade de garantir a segurança sanitária de profissionais, candidatos e assessores. Nosso jornalismo cobrirá todos os detalhes da eleição e fará o que tem feito ao longo de toda a pandemia: oferecer informação de qualidade, mas seguindo todos os protocolos sanitários. Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Mon, 21 Sep 2020 23:37:31 -0000
VÍDEOS: Diário TV 2ª Edição de segunda-feira, 21 de setembro

Assista às matérias dos telejornais da TV Diário. Assista às matérias dos telejornais da TV Diário.
Mon, 21 Sep 2020 23:37:03 -0000

This page was created in: 0.01 seconds

Copyright 2020 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info