Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Incentivo a fontes de energia vai custar R$ 5,6 bilhões aos consumidores em 2020, diz Aneel
Subsídio, bancado por meio de encargo na conta de luz, beneficia energia eólica, solar, de biomassa e carvão. Fatura não inclui custo de incentivo para a geração própria. Os consumidores brasileiros vão pagar R$ 5,6 bilhões em 2020 para financiar políticas públicas de incentivo a fontes de energia, como eólica, solar, biomassa e até carvão, aponta estimativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Esse valor não inclui o custo do benefício dado a quem gera a própria energia por meio de painéis solares. Segundo a Aneel, esse subsídio deve atingir R$ 995 milhões em 2020 (leia mais abaixo). O incentivo é uma das ações do governo no setor elétrico cobertas pela chamada Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). O dinheiro que abastece esse fundo vem de um encargo cobrado nas contas de luz de todos os brasileiros. A maior parte dos R$ 5,6 bilhões corresponde ao subsídio para o desenvolvimento de novas fontes renováveis de energia. Esse subsídio beneficia – com desconto nas taxas de transmissão e distribuição – empresas que compram energia produzida por centrais eólicas, solares, de biomassa ou gerada por pequenas centrais hidrelétricas (PCH). O que essas empresas deixam de pagar é cobrado dos demais consumidores, diluído nas contas de luz das unidades residenciais e comerciais. Para 2020, esse custo é estimado em R$ 5 bilhões. O levantamento da Aneel detalha ainda a participação de cada uma das fontes no total desse subsídio (veja no gráfico abaixo). A energia eólica, que cresceu fortemente no país nos últimos anos, responde por R$ 3 bilhões, o que equivale a 52,9% do valor previsto na CDE em 2020 para incentivos a fontes de energia. A solar, na outra ponta, vai receber a menor parcela: cerca de R$ 500 milhões (8,83%). O Ministério de Minas e Energia, a Aneel e especialistas do setor elétrico defendem a retirada dos subsídios às fontes alternativas. Eles argumentam: que essas energias já se desenvolveram no Brasil; que o preço dessas tecnologias já caiu; e que por isso as fontes alternativas têm condições de competir com as convencionais. A redução, ou mesmo o fim desse benefício, porém, passa por decisão do Congresso. Já o subsídio dado aos produtores de carvão mineral permite que o produto, usado como combustível por algumas usinas termelétricas, tenha um valor competitivo. A previsão é que os consumidores paguem R$ 666 milhões para garantir a manutenção dessa política. Energia solar Uma das fontes alternativas, a solar, está no centro de um debate surgido quando a Aneel anunciou, no ano passado, a intenção de rever benefícios a quem gera a própria energia. A polêmica cresceu depois que o presidente Jair Bolsonaro entrou publicamente na discussão, e passou a defender a não taxação da energia que vem do sol. A geração própria de energia pode ser feita com uso de outras fontes, como a eólica. Mas, como 98% dos consumidores que aderiram a esse sistema usam painéis, a chamada Geração Distribuída acabou associada à energia solar. O benefício, nesse caso, é para desenvolver a geração própria de energia no país – e não a fonte solar, de maneira específica. O custo do incentivo concedido a quem participa desse sistema não é bancado por meio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e, segundo a Aneel, será de R$ 995 milhões em 2020. Aneel pode suspender taxação sobre energia solar Conta de Desenvolvimento Energético No total, as ações financiadas via CDE vão custar aos consumidores brasileiros R$ 20,1 bilhões em 2020. Esse valor é recorde e vai gerar uma alta média de 2,36% nas contas de luz. O incentivo a fontes de energia (R$ 5,6 bilhões) corresponde a 28% desse valor. Outros subsídios cobertos pelo fundo são: conta de luz de famílias de baixa renda (R$ 2,380 bilhões); compra de parte do combustível usado pelas termelétricas que geram energia na região Norte do país (R$ 6,310 bilhões); descontos na tarifa de agricultores e de empresas de saneamento (R$ 8,528 bilhões). O presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales, aponta que os subsídios tiram a "transparência" e escondem o real valor das fontes de energia que contam com esses incentivos. Ele defendeu a revisão de todos os benefícios cobertos pela CDE. "Não apenas esses subsídios da fonte incentivada, os encargos como um todo têm que ser permanentemente revistos", disse Sales. Ex-presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), ligada ao Ministério de Minas e Energia, e atual presidente da consultoria PSR, Luiz Barroso defende a retirada dos subsídios às fontes de energia. De acordo com ele, os benefícios às chamadas fontes incentivadas (eólica, solar, biomassa), "fomentam uma expansão do sistema" elétrico "acima da necessidade de oferta" de energia. As fontes incentivadas, aponta ele, "já são competitivas", ou seja, já conseguem disputar mercado com outras fontes, como o gás natural, sem a necessidade dos subsídios. Ele avalia, porém, que a prioridade, neste momento, é a discussão dos custos da Geração Distribuída. "Sugerimos atacar primeiro a questão da GD, que hoje é um subsídio baixo, mas, devido ao potencial de crescimento exponencial, no futuro próximo representará uma grande transferência de renda entre consumidores", disse. De acordo com a Aneel, se nada for feito, o subsídio às fontes de energia vai continuar a crescer nos próximos anos e pode anular o efeito de medidas adotadas para tentar reduzir o peso dos encargos nas contas de luz. Uma dessas medidas foi o decreto assinado no final de 2018 pelo então presidente Michel Temer, que prevê a redução gradual dos descontos na tarifa de energia concedidos a produtores rurais e a companhias do setor de saneamento (água e esgoto), até a sua extinção num prazo de cinco anos.
Sun, 26 Jan 2020 07:00:43 -0000
Grammy 2020: shows, indicados e quem é favorito nas principais categorias

BTS com Lil Nas X, Billie Eilish, Lizzo e Demi Lovato estão entre os principais shows da cerimônia, que acontece neste domingo, às 22h. Arianna Grande, Lil Nas X, Lizzo, Billie Eilish e H.E.R. são líderes em indicações no Grammy 2020 Reprodução/Instagram, Divulgação, Divulgação/Luke Gilford, Divulgação/Universal O Grammy 2020 começa às 22h no domingo (26) no Staples Center, em Los Angeles, Estados Unidos. A cantora Alicia Keys volta a apresentar depois de estrear em 2019. Quem vai se apresentar nos shows do Grammy 2020? Mesmo sem indicações esse ano, o BTS se apresenta no Grammy pela primeira vez em sua carreira – que também marca a estreia de qualquer grupo coreano na premiação. Eles devem se apresentar ao lado de Lil Nas X no especial "Old Town Road All-Star", que ainda contará com Billy Ray Cyrus, Diplo e outros convidados. A noite ainda conta com homenagens ao produtor-executivo do evento, Ken Ehrlich, e ao rapper Nipsey Hussle, morto a tiros em 2019. Veja abaixo a lista de quem tem show confirmado na premiação: BTS Diplo Mason Ramsey Lil Nas X Billy Ray Cyrus Camila Cabello Gary Clark Jr. John Legend Debbie Allen Joshua Bell Common Misty Copeland Lang Lang Cyndi Lauper Ben Platt The War And Treaty Aerosmith Run-DMC Brandi Carlile Billie Eilish Kirk Franklin Ariana Grande H.E.R. Jonas Brothers DJ Khaled Legend Lizzo Demi Lovato Meek Mill Roddy Ricch Rosalía Blake Shelton Gwen Stefani Tanya Tucker Tyler, The Creator Charlie Wilson YG Onde assistir o Grammy na TV ao vivo? No Brasil, a transmissão pela TV é feita pela TNT, canal da TV por assinatura disponível na NET (canal 151 e 651), Sky (108 e 508), Claro (151 e 651), Oi TV HD (48 e 548), GVT (100) e Vivo TV (148 e 648). Quais os campeões de indicações? Lizzo lidera o número de indicações, com oito; ela é seguida por Billie Eilish e Lil Nas X, com seis cada; os três receberam suas primeiras indicações esse ano, presentes até na categoria de revelação. Eles também concorrem em gravação do ano e em disco do ano. Quais os shows mais aguardados? Demi Lovato retorna aos palcos depois de uma período afastada, desde que foi internada em uma clínica de reabilitação após sofrer uma overdose em 2018. A primeira apresentação do BTS em um Grammy também é muito esperada pelos fãs. Além deles, Tyler, The Creator, Lizzo, Billie Eilish e Rosalía também estreiam na premiação. Do lado dos veteranos, a parceria entre Aerosmith, que comemoram 50 anos de carreira, com Run-DMC já produziu o clássico "Walk this way" em 1986 e deve ser um dos pontos altos da noite. Qual a polêmica do ano? A Academia de Gravação, responsável pelo prêmio, passa por um período de forte turbulência interna. Tudo começou quando a antiga presidente e executiva-chefe da organização, Deborah Dugan, foi afastada por "má conduta" no dia 17. Desde então, ela fez uma série de acusações contra a instituição que botam em cheque o processo de indicações da premiação. Deborah citou um comitê secreto e afirmou que Ed Sheeran e Ariana Grande ficaram de fora da categoria Música do ano em 2019 após o favorecimento de outro artista por parte do conselho. O Brasil está presente? O país estará representado na premiação com a cantora Thalma de Freitas, indicada na categoria de melhor álbum de jazz latino com o disco "Sorte!". Lançado neste ano de 2019, a obra apresenta seis músicas cantadas e compostas por Thalma em parceria com o compositor norte-americano John Finbury. Coube a ela escrever em português as letras das músicas "Filha", "Maio", "Ondas", "Oração", "Sorte!" e "Surrealismo tropical". Veja as principais categorias abaixo e os favoritos nas maiores delas: Música do ano "Always Remember Us This Way" (gravada por Lady Gaga) "Bad Guy" (gravada por Billie EiIish) "Bring My Flowers Now" (gravada por Tanya Tucker) "Hard Place" (gravada por H.E.R) "Lover" (gravada por Taylor Swift) "Norman F***ing Rockwell" (gravada por Lana Del Rey) "Someone You Loved" (gravada por Lewis Capaldi) "Truth Hurts" (gravada por Lizzo) Quem vai ganhar: "Truth Hurts" (gravada por Lizzo) Quem deveria ganhar: "Norman F***ing Rockwell" (gravada por Lana Del Rey) Gravação do ano "Hey, Ma" - Bon Iver "Bad Guy" - Billie EIiish "7 Rings" - Ariana Grande "Hard Place" - H.E.R "Old Town Road" - Lil Nas X ft.Ray Cyrus "Talk" - Khalid "Truth Hurts" - Lizzo "Sunflower" - Post Malone & Swae Lee Quem vai ganhar: "Old Town Road" - Lil Nas X ft.Ray Cyrus Quem deveria ganhar: "Old Town Road" - Lil Nas X ft.Ray Cyrus Álbum do ano "I, I" - Boniver "Norman F***ing Rockwell" - Lana Del Rey "When We all Fall Asleep, Where Do We Go" - Billie Eilish "Thank U, Next" - Ariana Grande "I Used to Know Her" - H.E.R "7" - Lil Nas X "Cuz I Love You" - Lizzo "Father on the Bride" - Vampire Weekend Quem vai ganhar: "When We all Fall Asleep, Where Do We Go" - Billie Eilish Quem deveria ganhar: "Cuz I Love You" - Lizzo Revelação Black Pumas Billie Eilish Lil Nas X Lizzo Maggie Rogers Rosalía Tank and the Bankas Yola Quem vai ganhar: Lizzo Quem deveria ganhar: Billie Eilish Melhor performance de pop solo "Spirit" - Beyoncé "Bad Guy" - Billie Eilish "7 Rings" - Ariana Grande "Truth Hurts" - Lizzo "You Need to Calm Down" - Taylor Swift Melhor performance de duo/grupo pop "Boyfriend" - Ariana Grande & Social House "Sucker" - Jonas Brothers "Old Town Road" - Lil Nas X featuring Billy Ray Cyrus "Sunflower" - Post Malone & Swae Lee "Señorita" - Shawn Mendes & Camila Cabello Melhor álbum pop "The Lion King: The Gift" - Beyoncé "When We all Fall Asleep, Where Do We Go" - Billie Eilish "Thank U, Next" - Ariana Grande "No. 6 Collaborations Project" - Ed Sheeran "Lover" - Taylor Swift Melhor clipe "We've Got to Try" - The Chemical Brothers "This Land" - Gary Clark Jr. "Cellophane" - FKA Twigs "Old Town Road (Official Movie) - Lil Nas X & Billy Ray Cyrus "Glad He's Gone" - Tove Lo Melhor álbum pop com vocal tradicional "Sì" - Andrea Bocelli "Love (Deluxe Edition) - Michael Bublé "Look Now" - Elvis Costello & The Imposters "A Legendary Christmas" - John Legend "Walls" - Barbra Streisand Melhor performance de rap "Middle Child" - J. Cole "Suge" - DaBaby "Down Bad" - Dreamville ft. J.I.D, Bas, J. Cole, EARTHGANG & Young Nudy "Racks in the Middle" - Nipsey Hussle ft. Roddy Ricch & Hit-Boy "Clout" - Offset ft. Cardi B Melhor perfomance de rap/vocal "Higher" - DJ Khaled ft. Nipsey Hussle & John Legend "Drip Too Hard" - Lil Baby & Gunna "Panini" - Lil Nas X "Ballin" - Mustard Featuring Roddy Ricch "The London" - Young Thug ft. J. Cole & Travis Scott Melhor música de rap "Bad idea" - YBN Cordae ft. Chance The Rapper "Gold roses" - Rick Ross ft. Drake "A lot" - 21 Savage ft. J. Cole "Racks in the middle" - Nipsey Hussle ft. Roddy Ricch & Hit-Boy "Suge" - DaBabby Melhor álbum rap "Revenge of the Dreamers III" - Dreamville "Championships" - Meek Mill "I am > I was" - 21 Savage "Igor" - Tyler, The Creator "The Lost Boy" - YBN Cordae Melhor performance de R&B "Love Again" - Daniel Caesar & Brandy "Could've Been" - H.E.R featuring Bryson Tiller "Exactly How I Feel" - Lizzo featuring Gucci Mane "Roll Some Mo" - Lucky Daye "Come Home" - Anderson .Paak Featuring André 3000 Melhor performance de R&B tradicional "Time Today" - BJ The Chicago Kid "Steady Love" - India.Arie "Jerome" - Lizzo "Real Games" - Lucky Daye "Built for Love" - PJ Morton Featuring Jazmine Sullivan Melhor música de R&B "Could've Been" - H.E.R ft. Bryson Tiller "Look At Me Now" - Emily King "No Guidance" - Chris Brown ft. Drake "Roll Some Mo" - Lucky Daye "Say So" - PJ Morton ft. JoJo Melhor álbum de música urbana "Apollo XXI" - Steve Lacy "Cuz I love you (Deluxe)" - Lizzo "Overload - Georgia Anne Muldrow "Saturn" - NAO "Being human in public" - Jessie Reyez Melhor álbum de R&B "1123" - BJ The Chicago Kid "Painted" - Lucky Daye "Ella Mai" - Ella Mai "Paul" - PJ Morton "Ventura" - Anderson .Paak Melhor performance de rock "Pretty Waste" - Bones UK "This Land" - Gary Clark Jr. "History Repeats" - Brittany Howard "Woman" - Karen O & Danger Mouse "Too Bad" - Rival Sons Melhor performance de metal "Astorolus - The Great Octopus" - Candlemass Featuring Tony Iommi "Humanicide" - Death Angel "Bow Down" - I Prevail "Unleashed" - Killswitch Engage "7empest" - Tool Melhor música de rock "Fear Inoculum" - Tool "Give yourself a try" - The 1975 "Harmony Hall" - Vampire Weekend "History Repeats" - Brittany Howard "This land" - Gary Clark Jr. Melhor álbum de rock "Amo" - Bring Me The Horizon "Social Cues" - Cage The Elephant "In the end" - The Cranberries "Trauma" - I Prevail "Feral Roots" - Rival Sons Melhor álbum de música alternativa "U.F.O.F." - Big Thief "Assume Form" - James Blake "I,I" - Bon Iver "Father of the bride" - Vampire Weekend "Anima" - Thom Yorke Melhor álbum de jazz latino "Antidote" - Chick Corea & The Spanish Heart Band "Sorte!: Music by JOhn Finbury" - Thalma de Freitas com Vitor Gonçalves, John Patitucci, Chico Pinheiro, Rogerio Boccato & Duduka Da Fonseca "Una noche con Rubén Blades" - Jazz At Lincoln Center Orchestra com Wynton Marsalis ft. Rubén Blades "Carib" - David Sánchez "Sonero: The music of Ismael Rivera" - Miguel Zenón LISTA COMPLETA das 84 categorias no site do Grammy
Sun, 26 Jan 2020 03:01:39 -0000
Bombeiros de Juiz de Fora e região relatam memórias deixadas pela tragédia em Brumadinho

O G1 traz histórias de profissionais que tiveram suas vidas atravessadas pelo desastre ambiental que vitimou fatalmente 270 pessoas. Capitão Acácio Tristão Gouveia Acácio Tristão Gouveia/ Arquivo Pessoal Um ano do rompimento da barragem que se rompeu em Brumadinho, o G1 traz histórias de profissionais do Corpo de Bombeiros de Juiz de Fora e região que tiveram suas vidas atravessadas pela tragédia que vitimou fatalmente 270 pessoas. E, que deixou marcas indeléveis em outras centenas de famílias e profissionais envolvidos nos trabalhos que ainda estão em andamento. Capitão Acácio Tristão Gouveia, chefe atual da seção de Planejamento do 4º Batalhão de Bombeiros Militar (4ºBBM) em Juiz de Fora se lembra exatamente do que fez no momento em que recebeu a informação. "Liguei imediatamente para o meu comandante, informando que tinha uma equipe pronta para atuar. Saímos daqui no final da tarde daquele 25 de janeiro com a certeza que tínhamos muito a fazer. Vieram memórias de uma outra operação de salvamento que havia participado três anos antes, em Mariana. Mas depois que chegamos em Brumadinho, eu já não podia mais mensurar o que viria pela frente", explicou. Segundo ele, até então a ocorrência em Mariana era a mais importante da vida dele. "Hoje eu já não não vivo com estas certezas que a gente tem. Ainda que seja delicado dizer isso e, que nunca desejamos viver algo ainda pior, aquele cenário de desolação me mostrou que é preciso estar sempre preparado para tudo, sempre nos capacitando para garantir apoio e suporte para o que pode vir a seguir. Essa é uma das lições que eu tiro dessa ocorrência", afirmou. Qual será o último instante? Subtentente Denilton Dias Michelle Nazar / Corpo de Bombeiros Para o o subtentente Denilton Dias Ferreira, lotado no Pelotão de Emergências Ambientais e Respostas a Desastres ( Pemad) do 4º BBM, em Juiz de Fora, não tem como não sair, no mínimo mudado, com uma outra forma de ver a vida, motivado a viver. "Nessa nossa missão de ser do Corpo de Bombeiros, a todo o tempo estamos às voltas com a morte. A cada ocorrência, ela nos lembra que está por perto o tempo todo. Por isso, valorizo o que é mais importante, que são meus filhos, minha esposa, meus pais, meus irmãos, meus amigos. Curto e aproveito com eles todos os momentos, porque não sei qual será o último instante em que estaremos juntos," afirmou. Entre as memórias mais marcantes, o subtentente contou que se viu entre dois momentos fortes diante do anúncio do rompimento da barragem. A terceira filha, chamada Maria, estava há poucos dias de nascer. A esposa e os filhos precisavam dele por perto. Mas a profissão mostrava que ele precisava estar lá, naquele resgate. "Eu fazia parte da resposta que aquelas centenas de famílias precisavam ter. E quando chegamos lá senti que estava certo. Me lembro de ficar dias perto daquela caminhonete que foi engolida pela lama e cujo vídeo repercutiu muito em todos os lugares. Melhor de tudo foi encontrar o dono dela dias depois, salvo, materializado sob a forma de um milagre. Outra história que não me esqueço é de uma tia contando que o sobrinho estava nadando num açude no momento do rompimento. E pouco tempo depois, o garoto apareceu no topo de uma mata, enlameado, mas fora de perigo. Ela não sabia explicar como ele escapou ileso", relembrou. A história das vidas que se perderam "Todo mundo tem uma expectativa. Naquela tarde, estavam todos almoçando, se divertindo - como é comum na hora do intervalo em um ambiente de trabalho. Esperavam o fim do expediente para ver os filhos, ver a esposa, os pais, fechar aquele plano para fazer uma viagem. Outros pensavam ou comemoravam uma oportunidade de ascensão na carreira profissional. E, num piscar de olhos: acabou tudo, de uma forma muito bruta, " relembra Denilton. "A história das vidas que se perderam ficaram espalhadas pelos meus pensamentos e me motivam a ser um pai melhor, um marido melhor, um ser humano melhor. O legado de Brumadinho é que preciso viver um dia de cada vez e aproveitar a minha vida diariamente, tentando ser feliz com aquilo que o meu dia me proporciona," finalizou Denilton em família Denilton Dias Ferreira Sentimento de gratidão Moradora de Barbacena, mas integrante da unidade do Corpo de Bombeiros de Ubá , a soldado Ana Luisa Mrad Marteleto contou que conhecer e conviver com pessoas que perderam seus entes queridos e, mesmo em seu luto, trabalhavam sem medir esforços com os militares, é uma das memórias que traz desta grande experiência em Brumadinho. "Com este tipo de acontecimento, a gente acaba sendo chamado a atenção pra ser mais grato. Grato pela nossa vida e dos nossos familiares e amigos, pelo nosso trabalho e também a dar mais importância ao hoje, porque não sabemos o dia de amanhã," explicou. Por mais que tenha participado da missão em seu início, já que ela permanece até hoje, ela conta que não perde o contato com os colegas de salvamento, porque toda semana tem algum companheiro que trabalha diretamente sendo empenhado em Brumadinho. "E a gente fica nessa expectativa de conseguir encontrar todas as vítimas. Toda vez que é noticiado identificação de mais uma vítima o sentimento é de satisfação por ter contribuído em uma missão tão grande e que trouxe tanto sofrimento." Ana Luisa ( terceira da esquerda para direita) com os amigos Cristiane e Thiago Neves Ana Luisa Mrad/ Arquivo Pessoal Para soldado Mrad, foi importante também a visibilidade que o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais teve, no sentido de mostrar que todo o efetivo está em alerta para qualquer atendimento. "No entanto, acredito que o legado maior tenha sido o alerta pra esse tipo de barragem e as exigências para que elas sejam extintas, trazendo maior segurança para outras pessoas para que não haja outra tragédia da mesma forma", afirmou. Entrega ilimitada O jornalista Raul Mourão relembra que no pouco tempo que ficou em Brumadinho viu uma entrega quase ilimitada, muito humana, no sentido de cuidado com o outro, por parte dos bombeiros, para conseguir resgatar vidas ou corpos ou partes deles para rituais de velório. "Em um cenário incompreensível, inconcebível para quem preza pela vida humana, esses profissionais, a meu ver, precisaram batalhar para tentar minimizar a dor vinda em avalanche. O pesar espalhado nos cantos da cidade parecia ter cor e odor de lama, moldada por ganância, descaso ou descuido. Pelo contato que tive, por algumas horas, próximo a casas cobertas pelos resíduos, percebi essa tragédia também conversando com moradores e bombeiros civis," relatou. Entre os profissionais voluntários, ele encontrou um idoso mexicano. "Não sei ao certo o que o movia a estar ali. Mas quando ele disse que o voluntariado não tem fronteiras. Entendo que seria um senso, talvez, de humanidade e respeito, faltantes nas ações da mineradora," explicou Professor do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Miguel Fernandes Felippe, que esteve em Brumadinho expedição do projeto Minas de Lama contou que o sentimento de angústia com a falta de assistência do poder público, naquele momento de tantas perdas, se misturou a um sentimento de revolta e perplexidade. "Andar pelas casas destruídas foi muito comovente. Eu pensei que poderia estar menos afetado pelas emoções, porque já havia vivenciado outra experiência com desastres ambientais, mas foi um engano. Quando eu e minha equipe de profissionais e alunos nos deparamos com a destruição, os utensílios doméstico espalhados, as roupas pelo chão, ficamos num silêncio sepulcral. Nunca estamos preparados para lidar com esse tipo de situação", afirmou. Tragédia em Brumadinho completa um ano Maria Otávia Rezende / UFJF Ele conta que a conversa com uma moradora do local o marcou muito. "Ela disse que antes abria porta da casa, e via os vizinhos, as casas ao redor da sua, a rua em seu melhor sentido, com seus movimentos. Afinal, era um lugar onde havia o encontro, o diálogo e a conversa. Agora ela vê o cemitério dos amigos, dos colegas, dos conhecidos daquele lugar," finalizou. Ele ainda afirmou que o trabalho dos socorristas foi algo impressionante. "Era chocante vê-los sob o sol escaldante, usando recursos próprios, muitas vezes. Não dá pra precisar o estado emocional daquelas pessoas que se doaram totalmente." Capitão Tristão rememora que a humanidade e trabalho em conjunto foram outros pontos fortes desta missão, que ainda não acabou. "Ali percebe-se que nenhum órgão sozinho seria capaz de resolver tamanho problema. O que me chamou a atenção também foi o caráter humanitário dos socorristas voluntários. Eles deixaram seus afazeres, suas vidas, para se dedicar a ajudar de todas as formas aquelas pessoas. Muitos deles tinham familiares desparecidos naquela lama, mas encontravam forças na caridade e na humanidade para que seguir adiante. "Em virtude disso, diante de todos os valores que sentimos lá, continuamos firmes em busca das 11 jóias - termo que as famílias adotaram para chamar as vítimas que ainda restam ser encontradas no meio do minério que sobrou a tragédia. Brumadinho se transformou numa grande lição de vida," finalizou.
Sun, 26 Jan 2020 02:56:05 -0000
Pianista de Gravatá cria vaquinha para cursar especialização em Portugal

Felipe Oliveira, de 23 anos, abriu campanha para ajudar a custear despesas dos estudos na Academia Internacional de Música Aquiles Delle Vigne, em Coimbra. Pianista Felipe Oliveira durante apresentação Arquivo Pessoal Um pianista de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, criou uma vaquinha online para cursar uma especialização em Portugal. Felipe Oliveira, de 23 anos, terminou a graduação em Piano na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 2019 e está dando continuidade aos estudos na Academia Internacional de Música Aquiles Delle Vigne, em Coimbra. Mas, para ter a oportunidade de permanecer estudando, o pianista abriu uma campanha para ajudar a custear as despesas. De acordo com Felipe Oliveira, para participar das aulas e dos festivais promovidos pela Academia, é preciso ir à Portugal em média cinco vezes por ano. Felipe Oliveira é bacharel em piano Arquivo Pessoal A instituição não dá nenhuma bolsa e os gastos com passagem, hospedagem e alimentação são pagos pelo próprio estudante. "Decidi criar a campanha com a finalidade de arrecadar os valores para concluir o primeiro ano de curso e poder planejar como será o segundo ano", afirma o bacharel em piano. Os interessados em ajudar podem contribuir com qualquer valor. Os apoiadores do estudante podem receber como recompensa vídeos de agradecimento e recitais nas próprias casas. Para participar da campanha é necessário entrar na plataforma de financiamento "Vakinha" e doar a quantia desejada. Initial plugin text "Neste momento, ter esta experiência com professores internacionais é de extrema importância para meu desenvolvimento técnico-musical e artístico", finaliza o estudante.
Sun, 26 Jan 2020 02:46:48 -0000
Característica vibrante de São Paulo é percebida nos diferentes sons que a cidade produz
No dia do aniversário de 466 anos de São Paulo, reportagem especial de Alan Severiano mostra a diversidade de sons dessa grande cidade. Característica vibrante de São Paulo é percebida nos diferentes sons que a cidade produz A cidade de São Paulo, como todos sabem, é conhecida pela diversidade. E essa característica vibrante também é percebida nos diferentes sons que a cidade produz. Veja na reportagem de Alan Severiano. O som menos querido dá à partida na cidade que não perde tempo, que ecoa o valor do trabalho, que não sossega nem na hora das canções de ninar. A ignição dessa sinfonia complexa chamada São Paulo passa, logo cedo, pela tradição das padarias. Os ruídos sobre rodas ou trilhos marcam o ritmo de longos deslocamentos. Entre as filas que dão fama, a trilha sonora de um exército que batalha e se arrisca pra dar conta da urgência das entregas. Muita gente acha que São Paulo é a cidade da buzina mas, entre os motoristas, não é bem assim. Comparando com moradores de outras cidades grandes, o paulistano até que buzina pouco. E por um motivo simples: numa cidade com frota de mais de 8 milhões de veículos, evitar esse som é uma questão de saúde mental. Quem escapa do trânsito também faz barulho. Dona Arlete é vizinha das turbinas. Nascida ao lado do aeroporto de Congonhas, ela vive aqui há 81 anos e ainda não se acostumou: “Cada seis minutos, como você viu, passa avião, né? E o barulho é forte”. Também tem aquele burburinho que todo paulistano quer ter, nem tão perto nem tão longe de casa. “Tem barulho é sinal que tem preço bom. Então é hora de vir!”, diz cliente na feira. E a cidade tem suas surpresas... Um pedaço do mundo rural. Aquele gostinho de bairro do século passado, com a gaita do amolador de faca. No estacionamento onde sobra asfalto, bastou uma árvore para a natureza recuperar sua voz. “Terra, grama, árvore, passarinho, amigos. É isso que me faz feliz”, diz o dono. A arte que brota em cada canto é o maior respiro dessa terra que premia talentos. Um grito de orgulho pela cultura. Ele nasceu Henrique Ferreira da Silva, mas, desde 2018, é Mano Hick. O jovem de 22 anos abraçou o rap para expressar a parte menos ouvida da cidade: “Desigualdade, injustiça e muitas outras coisas que me incomodam e eu preciso colocar pra fora também”. Num mundo de sons cada vez mais particulares, tem quem queira compartilhar o silêncio. Alberto é frequentador assíduo dessa biblioteca, no meio de um parque: “Eu classifico isso aqui como um oásis dentro da cidade. É impressionante”. No templo budista, sinos de diferentes tamanhos são usados nas cerimônias. Mas é esse que veio do Japão que ecoa por parte de São Paulo. “Gooonnn é a palavra em japonês que significa dádivas, benevolências que nós recebemos no nosso dia a dia. E é uma grande alegria a gente poder estar aqui, né?” Uma alegria que se multiplica em vários cantos pra quem se dispõe a ouvir a música que toca na cidade.
Sun, 26 Jan 2020 02:01:33 -0000
Rompimento da barragem da Vale em Brumadinho completa um ano
Até hoje, algumas vítimas estão desaparecidas no meio da lama de rejeitos de minério. A maior tragédia ambiental do Brasil matou quase 300 pessoas. Rompimento da barragem da Vale em Brumadinho completa um ano A maior tragédia ambiental do Brasil completou um ano neste sábado (25). O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho matou quase 300 pessoas e, até hoje, algumas vítimas ainda estão desaparecidas no meio da lama de rejeitos de minério. São 366 dias de incansáveis buscas. Os bombeiros ainda procuram os desaparecidos. Movidos pela solidariedade, querem acabar com a angústia dos parentes das vítimas. “Quando encontra mais um corpo, salvou uma mãe, salvou um pai, salvou um irmão. Quando eu penso em encontrar minha irmã, eu penso, assim, da minha mãe ter esse alento. Se está tendo busca, se está tendo sol, a gente ainda tem esperança e a esperança faz a gente acordar, porque todo dia a gente vive a expectativa que pode ser hoje”, afirma a professora Natália Oliveira. Há um ano, os bombeiros não param de trabalhar nem durante o período da chuva. Eles montaram aquelas tendas enormes e é lá dentro que eles vasculham o rejeito ou deixam o material secar pra facilitar as buscas. “Nós temos torre de iluminação e ventiladores externos, então o ar ele fica girando e aquecido ao mesmo tempo”, explica o sargento Marcelo Patrocínio. No dia 25 de janeiro de 2019, uma sexta-feira trágica, cerca de 12 milhões de metros cúbicos de rejeito de minério vieram abaixo. A barragem se rompeu às 12h28. Arrastou trabalhadores que estavam em cima da estrutura e tudo pela frente. 259 pessoas perderam a vida, 11 ainda estão desaparecidas. A captação de água no rio Paraopeba, que abastecia parte da região metropolitana de Belo Horizonte, foi suspensa depois que ele foi atingido. A lama cobriu quase 300 hectares de Mata Atlântica e matou cerca de 4 mil animais. Produtores rurais perderam plantações e ainda não retomaram as atividades. “Hoje agricultor perdeu a identidade em Brumadinho. Eu não vejo um local onde a gente possa começar novamente a agricultura”, lamenta Soraia Campos. Quem mora em Brumadinho e nas outras cidades a um quilômetro da calha do rio Paraopeba recebe auxílio emergencial. A Vale declarou que já fez 5 mil acordos individuais e trabalhistas, que está ajudando os produtores rurais a retomar as atividades, criando condições de melhorar o turismo e investindo para minimizar os danos provocados pelo rompimento. “Esse primeiro ano de 2019 foi um ano muito de concepção dos programas. Entendimento do diagnóstico, qual a extensão dos danos provocados. E aí começar a se modelar o projeto de retomada econômica. Sobre como diagnosticar os impactos de uma tragédia como essa em um território como Brumadinho e a bacia do Paraopeba. E daí propor soluções de empreendedorismo: como Brumadinho vai viver numa nova condição sem a mineração. Novos tipos de indústria devem ser atraídos pra lá mantendo as peculiaridades do local. Não vamos colocar nenhum elefante branco, nenhuma coisa que não faça sentido naquela região”, diz Marcelo Klein, diretor especial de reparação e desenvolvimento da Vale. Há dois meses, a Polícia Federal indiciou sete funcionários da Vale e seis da Tüv Süd, consultoria que atestou a estabilidade da barragem, pelos crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsos. As investigações apontaram que dois estudos mostravam que a barragem tinha problemas e que os indiciados sabiam disso. E, nesta semana, o Ministério Público de Minas Gerais denunciou 16 funcionários da Tüv Sud e da Vale - entre eles, o ex-presidente Fabio Schvartsman - por homicídio e crimes ambientais. Quem sofre com a perda de um parente, muitas vezes ainda desaparecido no meio da lama, quer que a justiça seja rápida e eficiente pra ter esperança numa nova vida. “Eu acredito, até porque se a gente não acreditar nisso, a fé fica abalada. Porque não é possível que esse tanto de morte vai ficar em vão e a nossa luta é justamente pra não ficar”, diz a técnica de enfermagem Josiana Resende. “Que a justiça seja feita pra minimizar um pouco essa dor e pra que não seja impune e não aconteça mais”, completa outra parente de vítima. A defesa de Fabio Schvartsman tem afirmado que as investigações ainda não terminaram e que a denúncia é injusta, porque desconsidera os documentos apresentados às autoridades. Segundo a defesa, esses documentos demonstram que a presidência da Vale não recebeu qualquer comunicado sobre problemas em Brumadinho.
Sun, 26 Jan 2020 01:50:24 -0000
Parentes e amigos das vítimas de Brumadinho prestam homenagens
No dia em que a tragédia completa um ano, homenagens foram feitas na cidade mineira e na capital paulista. Os bombeiros que trabalham nas buscas também foram lembrados. Parentes e amigos das vítimas de Brumadinho prestam homenagens Parentes e amigos das vítimas prestaram homenagens neste sábado (25), em Brumadinho e na capital paulista. Na base dos bombeiros, homenagens para as vítimas da tragédia. E também para quem trabalha nas buscas e nas investigações. Um memorial para lembrar as vítimas vai ser construído no Córrego do Feijão. “Esse tipo de fato é inadimissível e que sirva de lição para sempre, porque um fato desse tem que servir para algo”, disse o governador Romeu Zema. Em discurso oficial no Vaticano, o papa Francisco pediu orações para as vítimas. “Ofereçamos nossa solidariedade às famílias das vítimas”, disse o papa. Em São Paulo, parentes e amigos das vítimas se reuniram na Avenida Paulista e prestaram homenagem. Meio-dia e vinte e oito, o grupo sentou na calçada e uma sirene tocou, simbolizando a sirene de alerta que não soou quando a barragem da Vale se Rompeu. “A homenagem não é só para oss meus filhos. Aqui é homenagem para todas as vítimas, para todos os familiares, que eles tenham força, que ele sintam o amor dos seus filhos, que esse amor transborde para todos aqui”, diz Helena Taliberti. No mesmo horário, em Brumadinho, balões vermelho marcaram um ano da tragédia. As homenagens continuaram durante a tarde, no Santuário de Nossa Senhora do Rosário em Brumadinho. Parentes e amigos das vítimas procuram, na fé, alívio para uma dor que parece não ter fim. “Há muito o que se fazer, muito se diz que está se fazendo. Mas é uma gota d'água no oceano do sofrimento das pessoas e das urgentes mudanças que nós precisamos operar”, diz Dom Walmor Oliveira, arcebispo metropolitano de Belo Horizonte. Na celebração, pessoas mostravam fotografias das vítimas. A religiosidade ajuda Andreza a ter força para seguir a vida. O filho dela, de 26 anos, morreu. Na camisa, versos que são pura saudade. “Bruno, você foi homem, seu exemplo ficou, ficou sobre a mesa seu diploma de doutor. Bruno, descanse em paz, nos braços do meu senhor”, diz Andreza Rodrigues.
Sun, 26 Jan 2020 01:46:54 -0000
Agentes apreendem 'kit cadeia' com 14 celulares arremessados na Penitenciária de Cascavel

Policiais penais também apreenderam carregadores de celular e porções de maconha, neste sábado (25), segundo o Depen. Agentes apreendem 'kit cadeia' com 14 celulares arremessados na Penitenciária de Cascavel Divulgação/Depen Agentes apreenderam 14 celulares, quatro carregadores de celular, porções de maconha e de fumo, que haviam sido arremessados para dentro da Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), segundo o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR). A apreensão foi registrada neste sábado (25). Segundo o Depen, os objetos apreendidos estavam em um "kit cadeia". Segundo o departamento, durante ronda pela unidade, os agentes escutaram movimentações estranhas no entorno da penitenciária. Em seguida, conforme o Depen, identificaram com ajuda das câmeras o local de onde os celulares e drogas eram arremessados. Na mesma data, os policiais encontraram pacotes com os objetos proibidos também nos telhados próximos ao local dos arremessos. Conforme o departamento, os pacotes foram apreendidos antes de chegar ao acesso dos detentos. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Sun, 26 Jan 2020 01:27:09 -0000
Estados Unidos estudam mandar avião para retirar cidadãos americanos da China
Segundo jornal, a Casa Branca estaria providenciando um voo para retirar de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus, diplomatas e americanos que vivem lá. Estados Unidos estudam mandar avião para retirar cidadãos americanos da China Nos Estados Unidos, a imprensa divulgou que a Casa Branca estuda mandar um avião para retirar diplomatas e cidadãos americanos que moram na região onde o vírus começou a se espalhar. A informação é do jornal “The Wall Street Journal” e ainda não foi confirmada. O governo americano estaria providenciando um voo para retirar de Wuhan os diplomatas do Consulado dos Estados Unidos na cidade, assim como cidadãos americanos e diplomatas de outros países. Mas só há lugar, segundo o jornal, para 230 passageiros. Há mais de mil americanos vivendo em Wuhan, onde muitas empresas multinacionais têm escritórios. O governo chinês já teria autorizado o voo. O aeroporto da cidade está fechado há dois dias. Wuhan está totalmente isolada do resto da China. Nos Estados Unidos surgiu um segundo caso: uma mulher em Chicago, que chegou da China há duas semanas. O primeiro paciente, um jovem que também veio da China, foi localizado em Seattle. Os dois estão hospitalizados, em isolamento, e se recuperam bem, segundo as autoridades. O governo canadense informou, na noite deste sábado (25), que também está investigando um caso em Toronto. Neste sábado (25), nos EUA, começou a segunda fase do processo de impeachment do presidente no Senado. Os advogados de Donald Trump falaram aos senadores durante três horas. Disseram que não há nenhuma prova de que ele tenha feito algo errado. Os advogados acusaram os deputados que apresentaram o caso durante a semana, de esconder depoimentos que inocentam Trump. A Câmara aprovou o impeachment do presidente por abuso de poder e obstrução do Congresso. Ele teria usado o cargo em benefício próprio, pressionando o governo da Ucrânia a anunciar uma investigação por corrupção contra um possível adversário de Trump na eleição deste ano, o ex-vice presidente Joe Biden. A defesa destacou que o próprio presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, declarou não ter sofrido pressão. A ajuda militar à Ucrânia, que tinha sido suspensa por Trump, acabou sendo enviada. E nenhuma investigação foi anunciada.
Sun, 26 Jan 2020 01:18:53 -0000
Chuva forte provoca mortes, transtornos e alagamentos na Grande BH

Chuva forte provoca mortes, transtornos e alagamentos na Grande BH Defesa Civil confirma 30 mortes em Minas Gerais por causa da chuva. Quatro pessoas morreram soterradas em Ibirité;. Quatro pessoas morreram soterradas em Betim; . Cinco pessoas morreram no Jardim Alvorada, em BH
Sun, 26 Jan 2020 01:16:44 -0000

This page was created in: 0.01 seconds

Copyright 2020 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info