Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Trecho da BR-316 segue interditado em Santana do Ipanema, AL
Após enchentes no Riacho Camoxinga, reparos na ponte estão sendo feitas. Obra teve início no dia 24 de junho e a previsão é para que seja concluída em agosto. O trecho urbano da BR-316 segue interditado para a realização de reparos na ponte sobre o Riacho Camoxinga, em Santana do Ipanema, no Sertão de Alagoas, após enchentes no final de março. A informação foi divulgada na manhã desta quinta-feira (9) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). A obra teve início no dia 24 de junho e a previsão é para que seja concluída em agosto. Segundo a PRF, o trânsito dos veículos que trafegam sentido Carié/ Palmeira e vice-versa, devem ser desviados no posto Maracanã e na Caixa Econômica, para passarem por dentro da cidade. Aos veículo longos, como bitrens, que trafeguem sentido Carié/ Palmeira, esta opção não é possível. Para retornar à BR-316, portanto, os condutores devem seguir pela rodovia estadual sentido Olho D'Água/ Arapiraca. A recomendação da PRF é que os veículos longos evitem trafegar pelo trecho, pois devido às ruas estreitas e trânsito intenso, a manobra é dificultada. Para veículos de 30 metros, por exemplo, a manobra por dentro da cidade não é possível. Enchentes Após o grande volume de chuvas que atingiu a região, no final de março, o Rio Ipanema e o Riacho Camoxinga transbordaram. A água e a lama invadiram as casas de alguns moradores, e dezenas de famílias ficaram desabrigadas. DNIT interdita trecho da BR-316 para realizar reparos na ponte em Santana do Ipanema Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Thu, 09 Jul 2020 13:23:55 -0000
Covid-19: Centro Socioeducativo de Uberlândia inaugura oficina para produzir máscaras

Confecção na oficina já atinge 50 máscaras por dia; internos relatam sobre aprendizado. Segundo Estado, até o momento, 27 mil equipamentos de proteção foram produzidos por adolescentes em Minas. Centro Socioeducativo de Uberlândia Ceseu Uberlândia Rodrigo Scapolatempore/G1 O Centro Socioeducativo de Uberlândia começou a produzir máscaras para auxiliar no enfrentamento da pandemia da Covid-19. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (8) pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Conforme divulgado pelo G1 em abril, as unidades prisionais (para maiores) de Uberlândia, Uberaba e Carmo do Paranaíba estão entre as 30 de Minas Gerais que produzem máscaras de proteção contra o coronavírus. As peças são enviadas para as forças de segurança, hospitais e prefeituras. No projeto do Centro Socioeducativo em Uberlândia, quatro adolescentes estão se profissionalizando e se revezando para manter o funcionamento da nova oficina, que foi inaugurada há menos de uma semana. Ainda aprendizes, eles já atingiram uma média de 50 máscaras por dia, conforme a Sejusp. Nos próximos dias, a produção se expandirá para as unidades de Uberaba e Patos de Minas. "Eles estão empenhados e fazendo tudo com muito cuidado e capricho, zelando pela qualidade final. Acredito que com mais tempo de prática a produção diária deva aumentar consideravelmente”, afirmou a coordenadora das atividades, a auxiliar educacional Ana Clarissa Fagundes. Oportunidade Dois internos, cujas identidades foram preservadas em nomes fictícios, comentaram sobre o projeto. Para Gustavo Ferreira*, 19 anos, que nunca havia tido experiência com costura, a atividade o ajuda a compreender a importância do trabalho em equipe. "Eu era uma pessoa que não respeitava o outro. Esse tipo de tarefa, onde a função de cada um é importante no processo e o sucesso depende da harmonia de todos, tem me ajudado bastante a mudar de atitude e rever minhas posturas". Fábio Henrique* também tem 19 anos e contou que a nova oportunidade é uma chance de aprendizado e de reparar erros: "É sempre bom aprender coisas novas. O conhecimento é algo que ninguém tira da gente, é o que fica né? E é muito gratificante saber que algo que estamos fazendo está sendo bom para as outras pessoas. Contribuir com o próximo faz a gente se sentir melhor", disse. Parceria Ainda segundo a Sejusp, as atividades realizadas na unidade foram possíveis após uma parceria com o Centro Socioeducativo de Unaí. “O espírito de coletividade entre os envolvidos está em todos os momentos. Estamos satisfeitos em saber que o produto desta parceria beneficiará servidores das nossas unidades e de demais centros socioeducativos que ainda não produzem o material”, afirmou o diretor-geral Gilson Rodrigues. Estado As máscaras são fabricadas em algodão fornecido pela Sejusp. Minas Gerais já conta com nove unidades socioeducativas participando da produção dos itens, com fabricação total que ultrapassa 27 mil peças. A produção no sistema socioeducativo de Minas Gerais começou em abril na unidade de Sete Lagoas, inicialmente com material descartável. De lá pra cá, mais sete unidades, além de Uberlândia, iniciaram o projeto com tecido 100% algodão. Já foram produzidas máscaras nos Centros Socioeducativos de Sete Lagoas, Ribeirão das Neves, Divinópolis, Unaí, Patrocínio, São Jerônimo, Santa Terezinha e Santa Clara (em Belo Horizonte) e, agora, Uberlândia. *Nome fictício para preservar a identidade do adolescente, conforme recomendação do Estatuto da Criança e do Adolescente.
Thu, 09 Jul 2020 13:20:26 -0000
Mourão e ministros fazem videoconferência com investidores estrangeiros para falar de Amazônia
Reunião integra esforço do governo para melhorar imagem do Brasil no exterior. Investidores cobraram em cartas ações concretas de preservação do meio ambiente. Mourão e Ricardo Salles participam de reunião nesta quinta com empresários O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e ministros do governo federal realizam na manhã desta quinta-feira (9) uma videoconferência com investidores estrangeiros para tratar da preservação do meio ambiente no Brasil. Mourão comanda o Conselho da Amazônia e, conforme sua agenda, participam do por vídeo os ministros Walter Souza Braga Netto (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura), Ricardo Sales (Meio Ambiente), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Fábio Faria (Comunicação), e Roberto Campos Neto (Banco Central). Antes da videoconferência, o ministro Ricardo Salles afirmou ao G1 que o governo brasileiro deseja apresentar aos investidores formas de apoiarem projetos que preservam a Amazônia. “Vamos apresentar aos investidores mecanismos pelos quais eles possam ajudar efetivamente, tais como o Floresta+ que é o Pagamento Pelos Serviços Ambientais e também o Adote1Parque, que engloba a parceria para as 132 unidades de conservação na Amazônia”, disse. Segundo a Vice-Presidência, a videoconferência conta com a participação de representantes dos seguintes fundos de investimentos: Legal and General Investment Management – Reino Unido; Nordea Asset Management – Suécia; SEB Investment Management – Suécia; Storebrand Asset Management – Noruega; KLP – Noruega; Robeco – Países Baixos; AP2 Second Swedish National Pension Fund – Suécia; Sumitomo Mitsui Trust Asset Management – Japão. O governo brasileiro tenta melhorar sua imagem em relação à proteção da Amazônia e de povos indígenas diante de críticas e alertas que tem recebido de investidores, preocupados com temas como aumento do desmatamento e de queimadas na região. Nesta semana, executivos de 38 grandes empresas brasileiras e estrangeiras enviaram uma carta a Mourão cobrando ações concretas de combate ao desmatamento no país, conforme noticiou o jornal "Valor Econômico". Intitulado de "Comunicado do Setor Empresarial Brasileiro", o documento também foi assinado por quatro entidades setoriais do agronegócio, do mercado financeiro e da indústria. Na última terça (7), ao blog do jornalista Valdo Cruz, colunista do G1, Mourão afirmou que deseja mostrar aos investidores que o governo irá adotar medidas para melhorar a política ambiental brasileira. No mês passado, um grupo de investidores responsável por cerca de R$ 20 trilhões enviou uma carta aberta às embaixadas brasileiras de oito países (Estados Unidos, Japão, Noruega, Suécia, Dinamarca, Reino Unido, França e Holanda) para citar a preocupação com o aumento do desmatamento no Brasil. A carta foi assinada por 29 grandes fundos internacionais de investimento, que dizem acompanhar com preocupação a tendência de aumento do desmatamento no Brasil e que a situação cria incerteza sobre as condições para investir e fornecer recursos financeiros ao país. Desde que tomou posse, o presidente da República Jair Bolsonaro é criticado por ter tomado medidas que afrouxaram a fiscalização ambiental. As críticas ao país ameaças inclusive o acordo comercial entre Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) e União Europeia. Recentemente, o registro de queimadas na Amazônia voltou a subir – em junho foi o maior observado para o mês desde 2007, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
Thu, 09 Jul 2020 13:17:01 -0000
Gato fica com rabo preso em cerca de residência e é socorrido pelo Corpo de Bombeiros

Animal teve ferimento aparentemente leve e ao ser 'solto', correu do local. Caso foi em Três Lagoas (MS). Gato com o rabo preso na cerca Corpo de Bombeiros/Divulgação Um gato ficou com o rabo preso na cerca de uma residência de Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande, e teve que ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros. Tudo aconteceu no início da manhã desta quinta-feira (09). Conforme o Corpo de Bombeiros, a cerca é do tipo centralina, também conhecida como cerpentina, e não estava eletrificada. Bombeiros retiram gato da cerca Corpo de Bombeiros/Divulgação O gato estava para o lado de fora da casa, na calçada. Os moradores chamaram o Corpo de Bombeiros, que retiraram a cerca. De acordo com os bombeiros, o felino tinha uma lesão aparentemente leve e quando a cerca foi retirada, ele fugiu. Gato estava na calçada da casa Corpo de Bombeiros/Divulgação
Thu, 09 Jul 2020 13:16:36 -0000
Justiça Militar autoriza PMs a apreenderem objetos e armas em resistências e a descumprirem norma do governo de SP

4.500 oficiais obtiveram habeas corpus coletivo autorizando-os a atuarem na investigação de mortes provocadas por ações policiais. Regra de 2015, do então secretário Alexandre de Moraes, obrigava PMs a aguardarem ação da Polícia Civil. Oficiais da PM poderão apreender armas e objetos em cenas de crime de morte decorrente de ação policial, determina juiz Reprodução Globo News A Justiça Militar concedeu um habeas corpus coletivo a todos os oficiais da Polícia Militar de São Paulo autorizando-os a descumprirem uma resolução da Secretaria de Estado de Segurança de 2015 que proíbe os PMs de apreenderem armas e objetos em cenas de crimes, em especial nos casos de resistência seguida de morte (atualmente denominada de "morte decorrente de intervenção policial"). A diretriz da SSP que os oficiais podem agora descumprir foi baixada pelo então titular da pasta, Alexandre de Moraes, atual ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão, que beneficia 4.500 oficiais da Polícia Militar, foi expedida pelo juiz da 1ª Auditoria Militar do Estado de São Paulo, Ronaldo João Roth, após pedido da Associação de Oficiais Militares de SP (Defenda PM). A associação alegou que muitos oficiais estavam respondendo a inquéritos policiais militares (IPMs), sendo processados e presos ao descumprirem a regra da SSP, após realizarem apreensões em locais de cenas de crime envolvendo PMs da ativa e da reserva. A norma questionada autoriza os PMs apenas a preservarem o local do crime em que há morte decorrente de intervenção policial e aguardarem a presença de um delegado, que coordenará a investigação. O juiz entendeu que a norma baixada por Alexandre de Moraes é ilegal e inconstitucional, pois contraria o Código Penal Militar e o Código de Processo Penal Militar, que determinam que o oficial da PM superior responsável ou a Corregedoria da corporação apreendam instrumentos que possam ser periciados e localizados no local do crime envolvendo militares. Uma determinação do subcomando da PM havia determinado o cumprimento da norma da SSP, sob pena de responsabilização criminal dos policiais. Desde 2015, a norma do governo do estado de São Paulo determina que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, investigue ocorrências de mortes de civis decorrentes de intervenções de policiais (resistências seguidas de morte). Mas a Corregedoria da PM também abre inquérito para apurar esses casos. Para o juiz Ronaldo Roth, o fato da Polícia Civil e da PM investigarem o mesmo caso "criou uma situação esdrúxula de existirem dois inquéritos apurando o mesmo fato". "A resolução da SSP deu poderes aos delegados de polícia para investigar crimes militares contra a lei e contra a Constituição, invadindo uma competência militar em que não pode atuar. A Polícia Civil somente pode investigar crimes comuns, enquanto a Policia Militar só pode investigar crime militar, conforme prevê a Constituição", disse o magistrado ao G1. O G1 pediu a posição da Secretaria de Segurança Pública e da PM sobre a decisão, e aguarda retorno. A discussão sobre se a Polícia Civil ou a PM é responsável por investigar morte provocada em ação de policial militar é antiga. Em 2011, o então governador, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou que o DHPP passaria a investigar essas ocorrências. Em 2017, o caso chegou ao Tribunal de Justiça de São Paulo, que entendeu, em certa parte, ser inconstitucional uma norma do Tribunal de Justiça Militar que permitia apenas à PM investigar essas ocorrências. Polícia usa imagem 3D de Paraisópolis para apurar ação de PMs na tragédia do baile funk Paraisópolis Um exemplo do caso em concreto da discussão envolvendo a PM e a Polícia Civil sobre a quem cabe investigar mortes em ações que envolvem policiais militares é a ação da PM em Paraisópolis em dezembro de 2019, durante o Baile Funk da 19, que deixou 9 mortos e 12 pessoas ficaram feridas. A Corregedoria da PM abriu um inquérito, que já foi concluído e entendeu que os policiais agiram em legítima defesa na operação, e pediu o arquivamento do caso. O MP Militar pediu novas diligências sobre o caso, que ainda estão sendo feitas pela Corregedoria da PM. O caso ainda não foi concluído. Por outro lado, a Polícia Civil começou a ouvir depoimentos sobre a ocorrência em julho de 2020, 7 meses após a operação. 31 policiais militares investigados começaram a prestar depoimento sobre a ação no DHPP. A investigação criminal ainda não foi concluída.
Thu, 09 Jul 2020 13:16:25 -0000
Assaltante é baleado e morre após invadir casa de policial na Serra, no ES
Homem tentou assaltar a casa por volta de 1h desta quinta-feira (9), no bairro São Patrício. Assaltante foi baleado e morreu após invadir casa de policial na Serra Um homem que tentava assaltar a casa de um policial militar no bairro São Patrício, na Serra, na Grande Vitória, foi baleado e morreu depois que o dono do imóvel flagrou o crime por volta de 1h desta quinta-feira (9). Segundo a ocorrência, dois policiais militares que estavam em serviço foram chamados para o bairro por uma moradora que relatou que um homem tinha entrado na casa dela. Quando os militares chegaram até o local, o homem já tinha fugido. Os policiais continuaram uma ronda pelo bairro. Quando chegaram perto da casa onde um dos policiais mora, a luz estava acesa. O policial então parou para verificar o motivo da lâmpada estar acesa e viu o homem dentro da casa. Os policiais relataram que ao flagrar o homem dentro da casa, deram voz de prisão. O assaltante teria reagido e ido para cima deles com uma faca. Os policiais reagiram e balearam o homem. O suspeito foi socorrido pelos policiais. Os agentes informaram ter levado o homem para o Hospital Jayme dos Santos Neves, que recusou o atendimento, e depois para o Hospital Antônio Bezerra de Faria, que também não o atendeu. Os policiais o levaram então para o Pronto Atendimento de Castelândia, mas os médicos constataram que ele já está morto. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) foi procurada pela TV Gazeta para informar o motivo da recusa no atendimento do homem baleado, mas não respondeu até a publicação dessa reportagem. Os dois policiais estão na Delegacia Regional da Serra para prestar depoimento sobre o caso. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo
Thu, 09 Jul 2020 13:15:37 -0000
IFMS oferece 120 vagas em cursos de pós-gradução em Corumbá e Campo Grande

A seleção será feita mediante sorteio eletrônico, previsto para 27 de julho. O resultado preliminar deve ser divulgado no dia seguinte. Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Alexandre Oliveira/ IFMS O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) abre nesta sexta-feira (10) as inscrições para 120 vagas em cursos de pós-graduação latu sensu. A previsão é do início das aulas no segundo semestre deste ano. As inscrições vão até o dia 20 de julho e podem ser feitas somente pela Página do Candidato da Central. Para acessar clique aqui! Pelo Edital nº 37/2020, são ofertadas 80 vagas na Especialização em Docência para Educação Profissional, Científica e Tecnológica, sendo 40 delas no Campus Corumbá e 40 no Campus Campo Grande. Já pelo Edital nº 38/2020 são oferecidas, no Campus Corumbá, 40 vagas no curso de Especialização em Informática Aplicada à Educação. Os editais com todas as regras e cronogramas completos estão disponíveis na Central de Seleção do IFMS. A seleção será feita mediante sorteio eletrônico, previsto para 27 de julho. O resultado preliminar deve ser divulgado no dia seguinte. Já o resultado final será publicado até 31 de julho, incluindo a convocação dos candidatos selecionados para a matrícula. Em ambos os cursos, a previsão é de que o início das aulas se dê a partir de 10 de agosto. Desde março, as atividades presenciais no IFMS estão suspensas por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus. Na deliberação mais recente, a suspensão foi prorrogada até final de julho. Especialização em Docência A metade das 80 vagas ofertadas para as turmas em Campo Grande e Corumbá são destinadas a servidores do IFMS e a outra para o público em geral. O curso será realizado no prazo de 18 a 24 meses, em regime modular e com carga horária de 360 horas, acrescidas de 60 horas para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Os módulos serão ofertados de forma presencial, mas algumas disciplinas poderão ser desenvolvidas na modalidade a distância. As aulas devem ocorrer nas sedes dos campi. Em Campo Grande, estão previstas para as terças e quintas-feiras, das 19 às 22 horas. Já em Corumbá, as aulas serão às quartas e quintas-feiras, das 18 às 23 horas. Informática Aplicada à Educação O curso será realizado no Campus Corumbá em 18 meses, com carga horária de 360 horas, acrescidas de 60 horas destinadas ao desenvolvimento do TCC. As vagas ofertadas são destinadas ao público em geral tendo, como requisito para ingresso, que o interessado tenha diploma de curso superior em qualquer área.
Thu, 09 Jul 2020 13:15:28 -0000
Globo ainda não tem definição sobre data para retomada de gravações de novelas

'A gente vem ajustando nossas previsões de acordo com um acompanhamento sistemático da evolução da pandemia no país', informa a comunicação da emissora. Cena da novela 'Amor de mãe', com Regina Casé, Thiago Martins e Nanda Costa Isabella Pinheiro/Gshow A Globo ainda não tem uma definição sobre a data de retomada das gravações das novelas. Em março, todas as filmagens foram paralisadas por causa da pandemia de coronavírus. A comunicação da emissora informou que está "trabalhando há meses com vários cenários, que nos apontam algumas possibilidades, mas sem condições ainda de definir datas". "A gente vem ajustando nossas previsões de acordo com um acompanhamento sistemático da evolução da pandemia no país." A emissora também informou que "durantes esses meses, fomos também nos adaptando à nova realidade e aprendendo outras formas de trabalhar." "Aliando o aprendizado adquirido com as nossas operações a inúmeros estudos de iniciativas adotadas por empresas de audiovisual de outros países, criamos um rigoroso Protocolo de Segurança para a retomada, com amplo e abrangente conjunto de medidas. Temos avançado aos poucos." Sobre esse avanço, ela cita o retorno do programa "Encontro" ao vivo, em estúdio e sem plateia, "com um formato diferente para atender as necessidades de segurança para a equipe". Outra adaptação à nova realidade é a gravação do programa "Diário de um Confinado" de forma remota. "Uma produção de dramaturgia gravada remotamente fora dos estúdios, com as equipes trabalhando de suas casas e com novas ferramentas desenvolvidas pela nossa tecnologia especialmente para esse período", explica. "Nas últimas semanas, temos compartilhado essas experiências e aprendizados e sobretudo o nosso Protocolo de Segurança com todas as equipes, para que todos conheçam, contribuam com as suas dúvidas e sugestões e se familiarizem com todas as medidas previstas para resguardar nossos profissionais, em todas as etapas de produção. E assim vamos avançando, até que o desdobramento da pandemia nos dê condições de confirmar próximos passos, datas e previsões", finaliza. A Comunicação da Globo também informou não ter nenhuma confirmação sobre a entrada da reprise de "A Força do querer" para substituir "Fina Estampa" enquanto as gravações da novela "Amor de mãe" não são retomadas. "Não temos confirmações sobre essa ou qualquer outra reprise." A possibilidade do retorno da novela ao ar ganhou espaço nas redes sociais na última semana, animando fãs e elenco, incluindo Juliana Paes, protagonista da trama. "Criatura, você não brinque com meu coração! É sério? Rede Globo, me confirme! Nunca pedi nada", escreveu a atriz no Twitter. Globo amplia programação de jornalismo e exibir 'Fina estampa' no lugar de 'Amor de mãe'
Thu, 09 Jul 2020 13:14:12 -0000
Após dia de protesto, ônibus urbanos voltam a circular em Juiz de Fora

De acordo com o Sinttro, apesar das empresas não entraram em acordo sobre quem irá incorporar os 198 funcionários, a Ansal decidiu realizar o pagamento desses motoristas e cobradores. O G1 procurou os envolvidos. Ônibus de transporte urbano voltaram a circular em Juiz de Fora G1 / Zona da Mata Os ônibus do transporte coletivo voltaram a circular desde o início da manhã desta quinta-feira (9) em Juiz de Fora, após um dia de protestos dos trabalhadores da categoria na quarta-feira (8) devido a problemas no pagamento dos salários. O retorno das viagens urbanas foi confirmado ao G1 pela Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sinttro). Até às 21h de quarta-feira, as empresas Viação Goretti Irmãos Ltda (GIL) e Auto Nossa Senhora Aparecida Ltda (Ansal) não haviam entrado em um acordo sobre o pagamento de 198 funcionários registrados na GIL, que haviam prestado serviço para a Ansal até metade de junho. Entretanto, o Sinttro confirmou à reportagem na manhã desta quinta-feira que as empresas alinharam que Ansal irá realizar o pagamento dos quase 200 colaboradores até o final do dia e, por isso, os motoristas e cobradores retornaram ao trabalho. Porém, ainda conforme o sindicato, ainda não foi definido em qual empresa os motoristas e cobradores irão trabalhar, o que ainda gera um impasse. (Entenda abaixo) O G1 entrou em contato com a Ansal e GIL para saber mais informações sobre o pagamento e a situação trabalhista destes 198 funcionários e até a última atualização desta matéria não obteve retorno. Entenda o impasse A manifestação então ocorreu desde 8h30 da manhã e seguiu até o fim do dia, paralisando as principais vias da cidade, como a Avenida Rio Branco e Avenida Getúlio Vargas, sem circulação de veículos, inclusive de outras empresas, para as diversas partes de Juiz de Fora. De acordo com o Sinttro o ato ocorreu após algumas linhas da GIL serem transferidas para a Viação Auto Nossa Senhora Aparecida Ltda (Ansal) e, com isso, os trabalhadores foram incorporados pela nova empresa. A mudança ocorreu em dezembro de 2019. Por conta da crise financeira causada pelo novo coronavírus, e que gerou um prejuízo de mais de R$ 15 milhões às empresas, a Ansal devolveu as linhas, os motoristas e cobradores para a GIL no dia 15 de junho deste ano e parte destes funcionários não trabalharam desde então. Ainda conforme o Sinttro, os 198 trabalhadores que vieram da Ansal, agora estão registrados pela GIL e, com isso, deveriam receber o pagamento pela Goretti Irmãos, o que não ocorreu na quarta-feira. Uma reunião foi realizada entre representantes das duas empresas, da Settra e do Sindicato na Gerência Regional do Trabalho e Emprego durante a parte da tarde. Após mais de cinco horas de reunião, não foi definido um acordo de quem iria incorporar e pagar os trabalhadores, o que fez com que a categoria informasse que continuaria parada durante a madrugada. A Secretaria de Transportes e Trânsito (Settra) chegou a entrar com uma Ação Civil Pública (ACP) durante a noite, em que solicitou um pedido de tutela liminar em caráter provisório e de urgência para que a categoria retornasse com as viagens na cidade. Ao G1, a secretaria informou que está apurando a situação e aguarda resposta da Justiça, mas que o instrumento não foi necessário para o retorno dos ônibus. Outras manifestações No dia 8 de maio, motoristas e cobradores das empresas de ônibus Tusmil, Gil e Viação São Francisco paralisaram as atividades por causa de atraso no pagamento dos salários parciais, acordado entre os funcionários e as empresas. Na ocasião, a Astransp, responsável pelo consórcio Manchester, formado por Gil e Tusmil, e a Viação São Francisco, informou sobre as dificuldades financeiras no momento e da atual incapacidade do pagamento em dia dos salários integrais, bem como dos esforços mantidos pelos empresários para regularizar a situação. Após negociação entre os empregadores e o sindicato, a situação foi regularizada e os ônibus foram liberados das garagens. Já no fim de março, motoristas e cobradores de ônibus urbano também fizeram um ato. A manifestação foi realizada por causa da redução do adiantamento do salário, que é sempre pago no dia 20 de cada mês. Crise financeira nas empresas Também no mês de março, representantes do transporte público se reuniram com a Prefeitura para pedir reequilíbrio financeiro dos contratos de concessão do transporte. Durante a reunião, as empresas explicaram que devido a queda do número de passageiros, houve um enorme desequilibro financeiro e no contrato de concessão. Segundo a Astransp, até o início de maio, era calculado um prejuízo estimado em mais de R$ 15 milhões nos dois meses anteriores. Já o consórcio Via JF ponderou que "o setor de transportes vem enfrentando a maior crise de todos os tempos, a queda na receita dos Consórcios chegou a 70%, sendo que os custos da operação caiu apenas 40%". No dia 20 de maio, o G1 mostrou que a Prefeitura de Juiz de Fora informou que vai enviar à Câmara Municipal um Projeto de Lei (PL) que solicita a autorização para conceder um subsídio para às empresas do transporte público.
Thu, 09 Jul 2020 13:13:45 -0000
Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste disponibiliza vídeos gratuitos de exercícios físicos

Vídeos do Programa Permaneça Ativo (PPA) tem o objetivo de incentivar a população a fazer exercícios físicos dentro de casa, durante o isolamento social. Prefeitura de SBO disponibiliza vídeos gratuitos de exercícios físicos para a população Divulgação A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste (SP) disponibiliza a partir desta semana vídeos gratuitos do Programa Permaneça Ativo (PPA), com o objetivo de incentivar a população a fazer exercícios físicos dentro de casa, durante o isolamento social. Os vídeos podem ser acessados no site. Os conteúdos foram preparados por profissionais da Secretaria Municipal de Esportes (Seme) e são destinados a todos os públicos. Segundo a prefeitura, é importante que antes do início das atividades sejam assistidos os três primeiros vídeos do PPA: apresentação do Programa Permaneça Ativo, informações relacionadas à escala subjetiva de esforço e orientações para a prática das atividades em casa com segurança. Os vídeos já estão disponíveis para o acesso. Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba
Thu, 09 Jul 2020 13:12:18 -0000

This page was created in: 0.02 seconds

Copyright 2020 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info